Terapia Cognitivo Comportamental

“Nós sentimos o que pensamos.” (Burns, 1989)

Como é que pessoas diferentes passando pela mesma situação podem apresentar respostas emocionais e comportamentais diferentes ? Este fenômeno é explicado pelo fato de que não é a situação em si que nos faz ter uma reação específica, mas sim o que pensamos.

Veja o exemplo abaixo: dois rapazes passaram pela situação de “tomar um fora da namorada”. O primeiro pensou “sou um babaca” e por conseguinte sentiu-se triste e passou o final-de-semana inteiro isolado, trancado no quarto e chorando. Já o segundo pensou “ela não sabe o que está perdendo”, logo sentiu orgulho de si, ligou para os amigos e passou o final-de-semana inteiro indo para festas.

Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

Resumindo, o nosso comportamento depende do que pensamos sobre a situação, e não exatamente da situação em si. E pensamentos disfuncionais que dão origem a uma grande gama de transtornos psiquiátricos, tais como depressão, pânico, transtorno obsessivo-compulsivo e dependência química.

A terapia cognitivo-comportamental (TCC), que foi desenvolvida pelo psiquiatra Aaron Beck no início dos anos 1960 na Filadélfia (EUA), é o modelo psicoterápico mais estudado atualmente. É também o modelo de psicoterapia que mais apresenta evidências científicas de eficácia para o tratamento de diversos transtornos psiquiátricos.

O foco da terapia cognitivo-comportamental é a reestruturação cognitiva, ou seja, a reorganização da forma de pensar. Esta consiste na mudança dos pensamentos disfuncionais, substituindo-os por pensamentos alternativos, mais adequados à realidade e que não causem tanto sofrimento psíquico ao indivíduo. Para alcançar os objetivos desejados pelo paciente são utilizadas técnicas cognitivas e comportamentais baseadas em três pressupostos fundamentais (Dobson, 2001):

1. A atividade cognitiva influencia o comportamento.
2. A atividade cognitiva pode ser monitorada e alterada.
3. O comportamento desejado pode ser incluenciado mediante a mudança cognitiva.

A TCC funciona como tratamento de primeira linha para:

ADULTOS E ADOLESCENTES

– Depressão
– Pânico
– Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
– Dependência química (tabagismo, alcoolismo e drogas ilícitas)
– Fobia específica (p.ex.: medo de cachorro, etc.)
– Transtorno de estresse pós-traumático
– Transtornos alimentares (anorexia e bulimia)

CRIANÇAS

– Depressão
– Transtornos de ansiedade
– Fobia social (timidez excessiva)
– Transtornos disruptivos (agressividade excessiva)
– Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
– Fobias específicas (p.ex.: medo de dormir sozinho,etc.)
– Transtorno de estresse pós-traumático

A TCC também funciona como tratamento adjuvante para:

ADULTOS, ADOLESCENTES E CRIANÇAS

– Transtorno do humor bipolar
– Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

Bibliografia utilizada: Terapia cognitivo-comportamental na prática psiquiátrica, autores: Paulo Knapp e colaborades, ed. Artmed