Quadro Saúde Mental

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade pode se manifestar ao longo da vida

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é manifestado pela tríade: desatenção, hiperatividade e impulsividade. Porém, não é necessário se ter todos os sintomas para possuir o transtorno. Existem pessoas que só tem hiperatividade, outras, só desatenção, enquanto outras possuem ambas. Durante a infância, este transtorno apresenta-se principalmente na forma de dificuldade de aprendizado e comportamento agressivo, tanto em casa quanto no colégio.

Os meninos geralmente são mais hiperativos que as meninas, fazendo com que os pais e professores os encaminhem com mais frequência ao atendimento médico. Contudo, não podemos nos esquecer das meninas que também apresentam este transtorno, mas que geralmente o manifestam através de dificuldades na leitura, escrita e matemática, e pelo comportamento mais tímido e sem iniciativa.

Já na adolescência, o TDAH costuma aparecer através dos problemas secundários ao não tratamento do transtorno na infância. Assim, são adolescentes que frequentemente iniciam precocemente o uso de cigarro, álcool e drogas ilícitas. Suas dificuldades escolares ficam cada vez mais proeminentes, sendo que alguns até abandonam o colégio. A depressão também é comum em adolescentes portadores deste transtorno, já que em função de suas dificuldades, podem apresentar baixo auto-estima e sentimento de culpa pelo seus repetidos erros.

No adulto, o transtorno é caracterizado por frequentes trocas de empregos e faculdades, dificuldades em manter relacionamentos amorosos estáveis, direção arriscada e consequentemente envolvimento em acidentes de trânsito. É muito frequente na minha prática de consultório, o paciente só chegar para o tratamento depois de que várias consequências do transtorno já ocorreram: não passa nunca no vestibular, fora demitido várias vezes, engravidou sem planejar, ou já está dependente de alguma droga.

Este fato é grave, visto que tudo isso poderia ter sido evitado se o diagnóstico e tratamento correto tivessem sido instituídos na infância.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>