Quadro Saúde Mental

Esquizofrenia já possui tratamento ambulatorial, o que permite maior contato com a família

A esquizofrenia é uma doença psiquiátrica que se caracteriza pela perda do contato com a realidade. A pessoa pode ficar fechada em si mesma, com o olhar perdido, indiferente a tudo o que se passa ao seu redor, com dificuldades de socialização ou, como nos exemplos mais clássicos, desenvolver alucinações e delírios, como ouvir vozes ou barulhos que ninguém mais escuta, ver imagens e vultos que ninguém mais vê, ou imaginar estar acontecendo determinadas situações ao seu redor que são completamente irreais. E o pior é que não há argumento nem bom senso que convença essas pessoas do contrário. Enquanto não receberem tratamento, muito dificilmente melhorarão desses sintomas.

No passado, infelizmente, esses indivíduos eram colocados em sanatórios para loucos porque pouco se sabia a respeito da doença. No entanto, nas últimas décadas, houve grande avanço no estudo e tratamento da esquizofrenia, o que permite que o tratamento dos doentes seja feita em ambiente ambulatorial, próximo da família e próximo de casa, sem a necessidade de internação na maioria das vezes.

A Esquizofrenia é uma doença freqüente e universal que ocorre em todos os povos, etnias e culturas. Existem estudos comparativos indicando que ela se manifesta igualmente em todas as classes socioeconômicas e nos países ricos e pobres. Em cada 100 mil habitantes, surgem de 30 a 50 casos novos por ano. Neste momento, 5% da população mundial têm esquizofrenia. Portanto, em termos de Brasil, isso significa que 800 mil habitantes são portadores dessa doença.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>