Estimulação Magnetica Transcraniana

A Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva – EMTr (repetitive Transcranial Magnetic Stimulation – rTMS) é uma nova técnica de tratamento de doenças psiquiátricas e neurológicas. O objetivo da EMTr é estimular áreas específicas do cérebro relacionadas à depressão e outras doenças. A estimulação é feita por meio de pulsos magnéticos gerados por um equipamento desenvolvido para esta técnica. É um tratamento capaz de gerar mudanças controladas nos neurônios (células do sistema nervoso responsáveis pela condução do impulso nervoso) de regiões específicas do cérebro, ativando-os ou inibindo-os, de acordo com o objetivo terapêutico. Método seguro, específico, não invasivo, indolor e praticamente livre de efeitos colaterais.

Estimulação Magnética Transcraniana

Estimulação Magnética Transcraniana

O método consiste na colocação de uma bobina (espiral metálica envolta em plástico) encostada à cabeça do paciente. Essa bobina emite pulsos magnéticos em determinadas regiões do cérebro que atravessam o crânio de forma semelhante à das ondas da Ressonância Magnética. Quando atingem o neurônio, esses pulsos disparam um impulso nervoso, que é transmitido a outros neurônios. Os neurônios, ao serem atingidos pelos pulsos magnéticos, disparam impulsos nervosos para a liberação de neurotransmissores (serotonina, noradrenalina, dopamina, etc). E as áreas tratadas, que se encontram com fluxo sanguíneo alterado devido a determinadas doenças, voltam a ter um funcionamento normal após o tratamento, o que pode ser constatado e visualizado com a técnica de Tomografia por Emissão de Fóton Único (SPECT).

Durante o tratamento, o paciente pode vir desacompanhado, pois não há nenhum comprometimento das funções cognitivas após a sessão. Ao contrário, geralmente uma sensação de bem-estar e de relaxamento segue-se à aplicação. Após a sessão, o paciente pode voltar às funções do seu dia-a-dia normalmente. O paciente permanece sentado e acordado durante todo o procedimento, ouvindo apenas um “clique” a cada pulso que é emitido. Geralmente são necessárias uma média de 20 sessões, aplicadas de forma consecutiva (uma sessão por dia, durante os 5 dias úteis -segunda-feira a sexta-feira-, com intervalo nos finais de semana, por 4 semanas). Após, segue-se o tratamento de manutenção, o qual será avaliado conforme a demanda de cada paciente, assim como o número de sessões iniciais, resguardando suas individualidades. Frequentemente, na manutenção, inicia-se com duas sessões por semana, diminuindo-as gradualmente.

A técnica é aprovada para uso clínico em diversos países, inclusive no Brasil. Possue aprovação das rigorosas FDA – Food and Drug Administration – agência reguladora dos Estados Unidos, em 2008, e, no Brasil, da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – em março de 2006. Mais recentemente, recebeu aprovação do Conselho Federal de Medicina (CFM), portanto, trata-se de uma técnica exclusivamente Médica.

Estimulação Magnética Transcraniana

Estimulação Magnética Transcraniana

O Conselho Federal de Medicina reconhece a Estimulação Magnética Transcraniana(EMT) superficial como ato médico privativo e cientificamente válido para utilização na prática médica nacional, com indicação para depressões uni e bipolar,alucinações auditivas nas esquizofrenias e planejamento de neurocirurgia.

A EMTr possui particular potencial de indicação para aquelas pessoas que não respondem aos medicamentos, ou para aquelas que apresentaram grande número de efeitos colaterais indesejados com o uso dessas medicações. Igualmente, idosos, que são mais sensíveis ao uso de fármacos, podem benificiar-se desta técnica, além de mulheres que estão amamentando (sem causar prejuízo no bebê), e de indivíduos que possuam condições clínicas que impeçam o uso de certas medicações.

 

Links Relacionados
International Society for Transcranial Stimulation